Do travesseiro ao copinho de boneca: uma breve história da menstruação

Sites visitados:

Meluna

Blogueiras feministas – Tira-dúvidas sobre coletores

_________________

Quando éramos pequenas, eu e minha prima pegávamos os modess das nossas mães para serem os travesseiros das bonecas.

“Modess” era como o absorvente era chamado, porque foi a primeira marca (do mesmo jeito que “Gilette” virou sinônimo de lâmina e “Chiclete”, de goma de mascar).

Na época, o absorvente não tinha abas, fitas adesivas, cobertura de microfunis nem floc-gel, controle de temperatura e odor, embalagens individualizadas. Era uma versão industrializada dos paninhos branquinhos que enchiam os varais de nossas avós uma vez por mês.

Tratava-se um treco de algodão de uns 2 centímetros de espessura, dentro de uma espécie de meia sem pé, de um tecido que lembrava TNT, bem comprido, que ficava sobrando por fora da calcinha para o “ajuste”. Tinha até um apetrecho feito uma cinta-liga para não sair do lugar.

absorvente feminino antigo

cinta para uso de absorvente

cinta para uso de absorvente

As propagandas antigas mostram sempre mulheres com “liberdade de movimentos” e roupas brancas… (eu disse “antigas”? Hoje não mudou muito, não…)

anúncio antigo de absorvente modess

anúncio antigo de absorvente modess

anúncio antigo de absorvente modess

Pois bem. Minha prima e eu não fazíamos ideia da função dos modess – apenas que eram uma “coisa de gente grande”. A gente se contentava com a resposta. E subtraía alguns da minha tia para fazer travesseiro de boneca.

Um belo dia, minha prima me pergunta:

– Você sabe o que é menarca?

– Não.

– Sai um sanguinho de você. É pra isso que serve o modess. Para não sujar a roupa.

– Ah, tá. (Estranho, mas tá.)

Outro belo dia, minha mãe me pergunta:

– Você sabe o que é menstruação?

– Sei. Sai um sanguinho da gente.

Ela me olhou com aquele ar de “Graças a Deus, não vou precisar explicar. E graças a Deus, ela está conformada.”

Em mais um belo dia, eu descubro que não é só um sanguinho que sai de você. É um SANGÃO, e TODO MÊS, por muito tempo, até chegar a menopausa! E que vem com cólica! Mas nada, nada, nada suplanta a TPM! E dessa ninguém me tirou da inocência. Dei por conta sozinha, quando comecei a perceber regularidade naquela vontade de embolachar meio mundo rsrsrs!

A gente estava brincando de pedir coisas a Deus: eu pediria a Deus isso, pediria a Deus aquilo. Aí alguém falou:

– Eu pediria para não menstruar mais.

Outra amiga disse:

– Eu pediria para a gente dividir – a mulher teria o filho, mas o homem é que menstruava. (bem, na verdade, menstruação e maternidade fazem parte do mesmíssimo mecanismo da natureza.)

Aí eu falei:

– Pois eu não sou tão radical. Pediria a Deus que só pegasse mais leve. Tudo bem menstruar. Tudo bem ser todo mês. Mas tinha que ser igual xixi: deu vontade, vai ao banheiro e faz. Só de não usar modess já seria grande adianto, não?

Pois Deus ouviu minhas preces. Inspirou mulheres a inventarem o coletor menstrual, um copinho de material estéril que recolhe o fluxo, e depois é só despejar no vaso. Uma coisa fantástica para quem conhece (ou quer conhecer) o próprio corpo. E a natureza agradece.

coletores menstruais

(Não dá mais pra ser travesseiro de boneca. Mas a criatividade infantil pode transformá-lo em copinho, funil, touca de boneca…)

__________________

Veja também:

Falando sobre sexualidade

Anúncios

8 pensamentos sobre “Do travesseiro ao copinho de boneca: uma breve história da menstruação

  1. E vc tem usado?? Sou doida de vontade… mas cadê a coragem?! Meu fluxo é muito intenso e eu fico com a impressão de que nunca vou conseguir colocar o troço e confiar que não vai vazar… aí se for pra usar coletor + absorvente deixa de ter sentido!
    Como tem sido por aí?!

    • Uso há 8 meses e adoro! Meu fluxo também é enorme. A vantagem do copinho é que agora eu sei até medir: no segundo dia, chega a 10ml por hora (240 ml no dia, imagina as Cataratas do Iguaçu!) Então, nesse dia, fico mais segura se usar junto com o absorvente. Mas, nos demais dias e à noite, liberdade total e absoluta!
      O segredo é testar fora do ciclo, para aprender a colocar e tirar. Há quem no início prefira usar com KY, e até amarrar um fio dental para ter certeza de conseguir trazê-lo de volta KKKKKKK!
      Beijo!

    • Oi, Rose!
      “Colchão”, realmente, é a palavra que melhor define o modess, rsrs! Sobre o OB e os outros tampões, o lance é que algumas mulheres podem desenvolver monilíase ou mesmo ter um choque tóxico com eles. O copinho, como é estéril, não tem esse problema. Também é interessante para quem tem alergia.
      Beijão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s