Viajando com crianças. Parte IV – Os senões

Cena 5 – minha filha de 1 ano e meio correndo e batendo palmas em todos os cômodos da casa. Ao final, beijando o berço

Foto: Brokenarts / Stock xchng

Fizemos uma viagem de 10 dias com meu filho de 4 e minha filha de 1,5 ano. Desses, sete dias foram um cruzeiro. Para o menino, foi uma viagem maravilhosa e inesquecível. Mas para ela… Descobri – lá no navio – que cruzeiros não são o melhor esquema para bebês. Por quê?

  1. Ela não se deu bem com a comida. E a única opção que tínhamos (já que estávamos no meio do mar) era papinha Nestlé.
  2. Era verão, muito calor, mas o ar condicionado central (sobre o qual não tínhamos controle) era muito frio.
  3. Ela pegou uma virose, teve febre e diarreia.
  4. Ela sujou todas as roupinhas. O WC da cabine não tinha exaustão adequada para secá-las. Foi tudo para a lavanderia do navio, que demora para retornar.
  5. O navio em alto-mar balançava pra burro e deixou todo mundo enjoado.
  6. Ela estava aprendendo a andar e se sentiu insegura.
  7. O WC da cabine era um ovo, mal cabia a piscina inflável que usávamos como banheira.
  8. Tudo era muito demorado: o desembarque em cada cidade do circuito, os traslados até o aeroporto, as conexões etc.

Resumo da ópera: quando chegamos em casa, ela começou a dar gritinhos de alegria já na garagem. Era como se, na cabecinha dela, ela tivesse feito algo de MUITO errado e que estava sendo punida. Mas, graças a Deus, o castigo havia finalmente terminado. Quando ela beijou o berço, meu coração ficou minúsculo. Puxa vida, pensei, nunca mais vou fazer isso.

Essa história é para dizer que, nas viagens planejadas para serem momentos de sonho, podem acontecer alguns senões. Eles devem ser avaliados previamente para que o melhor programa seja escolhido – em algumas vezes ele pode mesmo ser adiado para quando as crianças forem maiorzinhas. E, também, com a decisão já tomada, para nos cercarmos de alguns cuidados:

  1. Crianças podem adoecer. Faça check-ups antes da viagem. Leve farmacinha, de acordo com orientações do pediatra.
  2. Remédios fazem efeito 30 minutos depois. Quando eu vejo que um dos meus filhos está meio constipado (o que pode causar uma dor de ouvido bizarra no avião) já dou logo o Paracetamol assim que a gente embarca. Dou mesmo. (veja isso com seu pediatra).
  3. Leve sempre mudas de roupa reserva na mala.
  4. Crianças podem estranhar o ambiente. Leve o travesseiro e um bichinho de pano com o qual seu filho esteja acostumado a dormir, para que tenha alguma referência de casa.
  5. Crianças podem vomitar. E, como “remédios fazem efeito 30 minutos depois”, antes de viagens de carro ou de barco já dou logo o anti-hemético (veja isso com seu pediatra). Além disso, eles devem evitar ler dentro do carro e não comer comida-de-beira-de-estrada não confiável.
  6. Leve sempre mudas de roupa (inclusive para os adultos) na bagagem de mão. Dizem que isso é útil para o caso de extravio de bagagem. Mas eu faço porque uma vez tive que comprar roupa para mim no aeroporto depois de uma “esgumitada” homérica do caçula.
  7. Crianças podem atrasar. Não dê chance à Lei de Murphy e sempre se programe para chegar aos lugares com pelo menos 30 minutos antes do que for determinado.
  8. Deixe a mala “pré-pronta” na véspera de ir embora. Na hora de desocupar o quarto, coisas como tirar a areia dos baldes e esvaziar boias e piscininhas infláveis demoram mais do que se imagina.
  9. Antes de qualquer esquema, leve ao banheiro, mesmo que eles digam que “não estão com vontade”. Por três vezes resolveram fazer “o número 2” na hora que o atendente da companhia chamou no microfone para embarcar.
  10. Tenha sempre protetores plásticos de vaso sanitário para as meninas e para “o número 2” dos meninos. WCs públicos são nojentos.
  11. Se decidir por um cruzeiro, NUNCA escolha cabines internas sem iluminação natural. Por mais que digam que é frescura, que a escotilha é pequena etc, luz do sol FAZ DIFERENÇA. A menos que você curta a sensação de que está dormindo dentro do elevador ou do WC do avião.

Enfim, conhecer os “senões” é importante. Se não há como impedi-los, pelo menos estamos conscientes.

Mas “estar junto 24h” com as crianças não está no rol dos “senões”.

Fiquei atônita com uma matéria da Revista Viagem e Turismo que compara resorts e cruzeiros, e fala sobre o assunto:

Viagem e Turismo n9 ano 12 set 2006 p64 – Ed. Abril

Cruzeiros ou resorts?

“Lazer Criança – Vencedor: Resort

Todos os navios têm kids club. Mas nenhum tem baby-sitter. Ou seja, se quiser alguma independência das crianças, vá para um resort, com trupes de funcionárias treinadas para entreter e cuidar dos pequenos a pequenas fortunas […]. Você agradecerá cada vintém, verá a lua da praia, tomará um drinque a mais no bar… É muito chato ser obrigado a voltar para o quarto por não ter com quem deixar as crianças. E nos navios, […] você terá de: a) dormir mais cedo; b) se consolar com a pobre programação da TV ou c) arrastar as crianças para todo lado. Durante o dia, os cruzeiros levam um olé dos resorts de novo. […] Nos resorts, a programação para a criançada é interminável. Aliás, os “tios” recebem os pequenos pela manhã e, com exceções, devolvem só para o banho. […] Quer mais que isso? Mande-os para uma ilha.”

TÔ BEGE!!!!

Na minha experiência, o cruzeiro não foi bacana para crianças pequenininhas por OUTROS motivos, nunca por causa do “contato full time”. Se esse contato se transformar em um dos “senões”, tem alguma coisa fora do lugar aí – e não é exclusiva da viagem.

Veja também:

Viajando com crianças. Parte I – A mala

Viajando com crianças. Parte II – As contradições

Viajando com crianças. Parte III – O clubinho

Viajando com crianças. Parte V – A alegria

Toda a série Viajando com crianças 

 

Anúncios

6 pensamentos sobre “Viajando com crianças. Parte IV – Os senões

    • Pra compensar, ela ganhou uma chuva de beijos depois!
      Com a promessa de procurar não repetir roubadas semelhantes rsrs!

  1. Estou sentindo um alívio enorme por ter encontrado seu blog, eu e meu marido íamos fechar essa semana o nosso tão sonhado cruzeiro…com o nosso filho de 1 ano, depois das suas valiosas dicas e experiencias esse cruzeiro pode esperar!!!! rsrrss

    • Oi, Giane,
      obrigada pela confiança depositada. Pode ter certeza de que, quando ele estiver maiorzinho, vai amar e curtir de montão! (e vocês também!)
      Beijos!

  2. Tarde demais para nós… embarcamos dia 23/03 em um cruzeiro da MSC que passará por punta del este, buenos aires e montevideu. Vamos levar nosso pequeno de 13 meses. Espero poder curtir com ele, pois é um bebê muito alegre e de fácil trato. 😀

    • Oi, Luciana!
      Torço para que dê tudo certo! Não deixe de contar pra gente, aí teremos a versão Viajando com Crianças – “cruzeiro tudo de bom”.
      Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s