Quando não é possível amamentar – Marusia fala

Li um post em um blog que me deixou estarrecida:

“Leite de vaca é pro bezerro;
Leite de cabra é pro cabrito;
Leite de lata é pra quem não tem mãe.
Minha filha só mama no meu peito.”

 Todas as mães que estiveram em situações de impedimento precisaram oferecer mamadeira com leite de lata a seus filhos. Essas crianças, por causa disso, não podem dizer que têm mãe???

Na resposta aos comentários, os autores do blog esclarecem o radicalismo (e depois, aqui, no Blog Mãe Perfeita. Muito legal, é no diálogo que a gente se fortalece!) Digo aqui o que disse a eles lá:

 Inspiração, incentivo, apoio, sim – sempre. Mas também precisamos cultivar uma postura de mais respeito, solidariedade e acolhimento, em vez de terrorismo, julgamento (julgamento, não! condenação!) e exclusão de quem não pôde amamentar!

 Simplesmente porque essa condenação NÃO AJUDA!

E ainda pode surtir efeito contrário: criar repulsa e resistência à causa, tão valiosa.

 Separei o trecho de um livro – poucas linhas no meio de 24 páginas inteiras falando das maravilhas da amamentação. Mas, sendo o último parágrafo, se reveste de importância:

 “Há várias dificuldades que contribuem para que algumas mulheres não consigam ou não queiram amamentar. De qualquer forma, é importante não confundir o conceito de ‘boa mãe’ com ‘mãe que amamenta’. Ser boa mãe é a mãe que se pode ser, de acordo  com sua vida e sua história pessoal, com limitações e possibilidades. Ter leite no peito é apenas uma das possibilidades – mas não a única – de aproximar-se do bebê e ter um contato amoroso e íntimo. Mas a relação de amor também pode acontecer quando o bebê é alimentado com mamadeira.”

(MALDONADO, Maria Tereza & DICKSTEIN, Julio. “Nós estamos grávidos”. 11 ed.-São Paulo: Saraiva, 2000. p 131)

 E outro texto muito bacana sobre o assunto na Revista Claudia (até ele apresenta a foto de um bebê mamando no peito da mãe!, o que mostra como a cobrança está arraigada. A despeito da imagem, vale a pena ler).

Cabe salientar que não foi escrito por um médico que faz pouco do aleitamento materno, muito pelo contrário. Quem escreveu foi Sônia Maria Salviano Matos de Alencar – Pediatra, presidente da Associação Brasileira de Profissionais de Bancos de Leite Humano e Aleitamento Materno, membro do Departamento Científico de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Pediatria e coordenadora dos bancos de leite humano da Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

 Me sinto um fracasso porque não consigo amamentar

Revista Claudia – Dilema de mãe. Edição 516-F Editora Abril. pp4-5

  “[…]

Ser mãe é muito mais que dar o peito.

 Sua decepção também pode estar relacionada a um bombardeamento de campanhas que pregam o aleitamento materno como uma obrigação. De certa forma, essa pressão toda tem aumentado o sentimento de culpa de mulheres que por algum motivo não conseguem amamentar. É um peso que nenhuma mãe precisa carregar, muito menos aquela que fez o possível para dar conta do recado. Também não há motivo para temer pela saúde da criança. O leite materno é sem dúvida a melhor e mais prática opção de alimentação para o bebê, porque já vem pronto, aquecido e com todos os ingredientes bem dosados. Porém, há fórmulas lácteas excelentes  à venda no mercado, que suprem satisfatoriamente as necessidades nutricionais da criança recém-nascida. […] O essencial para que você e seu pequeno se sintam bem e ligados intimamente é não delegar a ninguém o ato de dar mamadeira. Aproveite esse momento para aconchegá-lo, acariciá-lo, trocar olhares amorosos com ele enquanto sacia sua fome.

 É a maneira ideal de garantir um alimento imprescindível a qualquer ser humano: o amor.”

 É isso aí. Sendo no peito ou na mamadeira, o que realmente importa é alimentar nossos filhos com muito amor.

 

Veja também:

Campanhas de amamentação – uma análise séria e franca

Dificuldades para amamentar? Veja as dicas

Quando não é possível amamentar

Anúncios

10 pensamentos sobre “Quando não é possível amamentar – Marusia fala

  1. Marusia, apoiadíssima!
    Quando conversamos sobre isso alguns dias atrás comentei a história com o Rodrigo(meu marido)em casa e ficamos indignados com as pessoas radicais.

    Uma mãe que tenha o vírus da Aids não pode amamentar seu filho, isso é fato.
    Agora pergunto a minoria inflamada:
    Tenho que amanentar o filho porque caso contrário não serei uma boa mãe mesmo correndo o alto risco de passar o vírus para o meu bebê?
    Que tipo de mãe eu seria?
    Seria uma boa mãe por amamentar no peito e ao mesmo tempo uma assassina por passar um vírus de maneira proposital?
    Não sei que fundamento tem isso.
    Mãe Perfeita tá apoiada!
    🙂

  2. Mãe perfeita, esse seu ppost é perfeito… eu passei p isso e sofri mt c os julgamentos das pessoas ate aprender a argumentar e a me defender das acusações ridículas baseadas no senso comum das campanhas mau elaboradas sobre amamentação. Hj minha filha esta com 8 meses, tomou nan ate 6 meses e agora ja toma ninho, come frutinhas amassadas, verdura, carne, arroz, feijão, tudo amassadinho.´Graças a Deus minha filha é mt amada, mt saudavel e tem uma mãe que é tão mãe que mesmo sem conseguir amamentar nunca permitiu q ela sentisse falta nem de leite, nem de amor, nem de carinho e mt menos de vínculo afetivo materno.

    • OI, Márcia!
      Obrigada por compartilhar! Acredite: nada pode ser mais maravilhoso do que a gente se sentir uma “mãe que é tão mãe”!
      Beijo!
      Marusia

  3. Muito bom esse ppost eu estou passando por uma fase difícil pq nao consigo amamentar meu filho e entrei em depressão por conta do julgamento das pessoas até chegaram a dizer q meu filho vai ser doente pq não mama no peito 😦 ler esse artigo me ajudou muito a me sentir melhor OBRIGADA!!

    • Oi, Michelle,
      não é só em relação à amamentação – o julgamento e a cobrança dos outros, em relação a todo e qualquer aspecto da maternidade, podem nos atrapalhar muito. Mantenha-se tranquila e encontre o SEU jeito de ser mãe. Isso é o que mais importa para seu filho. 🙂
      Um beijo!
      Marusia

  4. Parabens! Ate q fim alguem pra nos defender,minha filha tem 3 meses,so Deus sabe o quanto tentei amamentar,nao conseguir. Hoje ela toma Nestogenio e vivi muito bem de saude…

  5. Estou grávida de 7 mese e já sei que não poderei amamentar porque estou fazendo quimioterapia devido a um câncer de mama.
    Fiz a cirurgia para tirar uma mama e mesmo assim não poderei amamentar devido aos quimioterapicos passarem para o leite.
    Sei que serei uma mãe ainda mais dedicada à nutrição da minha filha.

    • Sandra,
      te desejo completa recuperação, um parto lindo e um convívio maravilhoso com sua filhinha. Que vocês possam se nutrir uma à outra de muito amor!
      Beijos, obrigada por compartilhar!
      Marusia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s